Um Domingo Inquieto

Image

Algo parece bater dentro de mim, algo que vai além de um coração cego. É uma inquietação ainda desconhecida, é um desejo de dar vazão a uma confusão que eu ainda não criei. Eu quero o estrago. Tenho fascínio por loucuras. Tenho paixão pelo desconhecido. Desejo o belo e o torpe, o vil, anseio pelo o que não posso ter e também abraço o perigo. São pedaços desconexos de uma pessoa incompleta em mim.

Tão fragmentada, ah, pequena semeadora de dúvidas. Tão longe da totalidade. Os problemas do seu humano são muitos e alguns tão fáceis de se resolver, basta querer. Mas quem quer o fácil? Acho que quando passamos de homo sapiens para homo sapiens sapiens também ficamos fadados a complicar tudo. Guerras. Beijos allheios. Violência. Dor. Raiva. Falta de carinho. Solidão. Esquecimento. Tudo é tão complicado e tão baseado no outro, baseado em não procurar uma saída pro problema, mas baseado sim em buscar o meio para punir em vez de exterminar.

Correr é sempre tão fácil, mas não resolve nada. Correr de ti, do mundo, dos problemas me fez ficar cega. Uma cegueira baseada no medo dos resultados. Vá, resolva tudo por mim, ficando longe e ficando bem. Um beijo dolorido! Ah!

(Bruna Alencar)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s