vjnb

“Rasidão. Rasidez
Medo dos sonhos, travo do cravo
Que cunhou esse amor
Com gosto de
morbidez.
Rasidão. Rasidez
Volta das veias, claro dos vitrais
Construídos no paço
Que habitaremos
Não mais.
Rasidão. Rasidez.
Silêncio dos olhos, topor dos sentidos
Que deitam sunidos
na noite
Ao som da minha vez,
Enquanto a tez declara
Que
Pra mim
Não passa de covardia
O que tu chama de insensatez.
Rasidão. Rasidez”.


(Bruna Alencar)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s